Policies and practices of inclusive education: conditions and contradictions in the daily life of a primary school

Main Article Content

Abstract

This paper aims analyze some of the contradictions present in the work on inclusive education, based on a group research project developed in an elementary public school in Campinas, SP, Brazil. Starting from the basic assumptions of a historical-cultural perspective of human development, we discuss the conditions for teachers’ activities and for the development of students with disabilities, aiming to understand how public policies influence educational practices. Additionally, we reflect on the impact of the research project on school life.  In our analysis of empirical data from field journals and video and audio records, we point out the tensions and difficulties that permeate everyday relations inside the school, stating the limits of the proposal for inclusive education. We believe that public policies need to be targeted in order to achieve educational conditions  that promote the pedagogical potential and the developmental possibilities of students with disabilities. We also emphasize the need to invest in teacher training considering their daily work within the school, as well as the importance of the creation, ownership, and availability of various resources and instruments  in order to make possible  the production of learning and developmental paths in educational relations.

Downloads

Download data is not yet available.

Article Details

How to Cite
Souza, F. F., Dainez, D., Smolka, A. L. B., Scian, R. G., & Hulshof, C. (2014). Policies and practices of inclusive education: conditions and contradictions in the daily life of a primary school. Education Policy Analysis Archives, 22, 82. https://doi.org/10.14507/epaa.v22n82.2014
Section
Educação especial: diferenças, currículo e processos de ensino e aprendizagem
Author Biographies

Flávia Faissal Souza, Grupo de Pesquisa Pensamento e Linguagem (GPPL), Faculdade de Educação (FE), Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Possui graduação em Educação Física (Licenciatura Plena) pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1993), Especialização em Educação Física junto a Pessoas Portadoras de Deficiência pela Universidade Federal de Uberlândia (1997), mestrado e doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (respectivamente: 2001 e 2013). Tem experiência na área de Educação e Educação Física, com ênfase no processo de ensino e aprendizagem e desenvolvimento das pessoas com deficiência, atuando principalmente nos seguintes temas: políticas e práticas de educação inclusiva, perspectiva histórico-cultural do desenvolvimento humano e dos estudos sobre o corpo. É co-autora do livro: Corpo, atividades criadoras e letramento, publicado em 2013.

Débora Dainez, Grupo de Pesquisa Pensamento e Linguagem (GPPL), Faculdade de Educação (FE), Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Graduada em Fonoaudiologia (2006) e Mestre em Educação (2008) pela Universidade Metodista de Piracicaba, Doutora em Educação (2014) pela Universidade Estadual de Campinas. Trabalha na área da Educação, com especial interesse na questão do desenvolvimento humano. Tem participado na realização de projetos de investigação relacionado aos seguintes temas: linguagem, relações de ensino, práticas educativas, deficiências, educação especial, educação inclusiva, perspectiva histórico-cultural.

Ana Luiza Bustamante Smolka, Grupo de Pesquisa Pensamento e Linguagem (GPPL), Faculdade de Educação (FE), Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Graduou-se em Filosofia (Bacharelado e Licenciatura) pela Pontifica Universidade Católica do Rio de Janeiro (1972). Mestre em Educação pela University of Arizona, USA (1978); Doutora em Educação pela Faculdade de Educação da Unicamp (1987). Realizou o Pós-doutorado em Psicologia da Educação na Clark University, Mass, USA (1990), com bolsa CAPES. Concluiu a Livre Docência na FE/Unicamp (2012). Coordenou o Projeto de Incentivo à Leitura (INEP/MEC/SESU, 1983-85). Coordenou o Projeto FAPESP sobre a construção de conhecimento no contexto escolar (1992-1995), e mais recentemente coordenou um projeto Fapesp para a melhoria do Ensino Público (2009-2011). Vem desenvolvendo projetos sobre práticas escolares e práticas discursivas desde 1997, com apoio CNPq (Bolsa PQ). Realizou estágios de intercâmbio e cooperação internacional na University of Chapell Hill (1995); Washington University at Saint Louis (2003); CINVESTAV (México, 2006). É coordenadora do Grupo de Pesquisa Pensamento e Linguagem na Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas, onde atua como docente e pesquisadora desde 1979. Foi diretora associada da Faculdade de Educação da Unicamp (1996-2000) e Coordenadora do Programa de Pós-graduação na mesma instituição (2000-2002). Foi presidente da Society for Sociocultural Studies (SSCS,1996-2002), membro da comissão executiva da International Society for Cultural and Activity Theory (ISCAR, 2002-2008). Trabalha nas áreas da Educação e da Psicologia, e tem realizado projetos de investigação relacionados aos seguintes temas: desenvolvimento humano, relações de ensino, práticas escolares, práticas discursivas, perspectiva histórico-cultural. Ocupa atualmente o cargo de direção associada da FE/Unicamp (2012-2016).

Roberta Gomes Scian, Secretaria Municipal de Educação, Prefeitura de Campinas

Possui graduação em Pedagogia, com habilitação em  Deficiência Mental,  Administração Escolar pela Universidade Metodista de Piracicaba (1997) e  especialização em Educação Especial  pela Pontifícia  Universidade Católica de Campinas (2000) e especialização em  Atendimento educacional Especializado pela Universidade Federal do Ceará. Atualmente é professora de Educação Especial na Rede Municipal de Campinas. Autora de trabalhos apresentados em encontros científicos da area da Educação .

Cristina Hulshof, Grupo de Pesquisa Pensamento e Linguagem (GPPL), Faculdade de Educação (FE), Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Pedagoga formada pela Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas em 2010. No decorrer do curso de graduação, atuou como Bolsista de Iniciação Científica, desenvolvendo os seguintes projetos: Vivências da inclusão na escola: um estudo sobre os modos de participação do(a) professor(a) e do aluno(a) na dinâmica dos processos de inclusão (período de 2008/2009, bolsista CNPq); e, Práticas de Educação Inclusiva em Questão: Uma análise de situações vivenciadas no cotidiano escolar (período de 2009/2010, bolsista Fapesp).