Multicultural perspectives in deaf education

Main Article Content

Abstract

Multicultural perspectives in Brazil, in school curriculum or in social practices, are still seen in a dichotomized way. Sometimes they are presented in the folk form, limited to only commemorative days, and at other times, they are presented in a more critical and postcolonial perspective where the curriculum focuses on issues related to the construction of prejudice, discrimination and identities (Canen, 2012). This essay addresses the multicultural perspectives present in the education of deaf people, discussing how the school institution is an issue. It aims to identify the multicultural perspectives that present themselves in deaf education based on reflections of several authors who discuss multiculturalism in education and also in deaf education. Although there are concerns from a multicultural postcolonial and critical perspective deaf education offered by regular schools, is still in a long process of cultural transformation necessary for a new social positioning in which differences are recognized and respected. The bilingual education model for deaf people is needed a process involving the recognition of differences and political awareness on both the educational and social levels to begin.

Downloads

Download data is not yet available.

Article Details

How to Cite
Navegantes, E., Kelman, C. A., & Iveniki, A. (2016). Multicultural perspectives in deaf education. Education Policy Analysis Archives, 24, 76. https://doi.org/10.14507/epaa.24.2237
Section
Articles
Author Biographies

Eva Navegantes, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ

É Mestre em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro / UFRJ, na linha de pesquisa: Inclusão, Ética e Interculturalidade, especialista em Planejamento Escolar e Políticas Publicas (UGF/RJ), graduada em Pedagogia pela Universidade do Estado do Pará (2004). Atua na Educação Especial, na estimulação essencial de crianças surdas e com alunos surdos usuários de Implante Coclear, no Instituto Felipe Smaldone-Belém/Pa, Participa do LaPEAD/FE/UFRJ (Laboratório de Pesquisa, Estudos e apoio à Participação e à Diversidade em Educação) e no GEPeSS (Grupo de Estudos e Pesquisas Sobre Surdez).

Pesquisa e escreve sobre surdez e surdos com implante coclear.

 

Celeste Azulay Kelman, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ

É Professora Associada da UFRJ e integrante da Linha de Pesquisa Inclusão, Ética e Interculturalidade e Coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Surdez – GEPeSS.
Possui graduação no Instituto de Psicologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1972), mestrado em Educação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1995) e doutorado em Psicologia pela Universidade de Brasília (2005). É autora do Livro Sons e Gestos do Pensamento: um estudo da linguagem egocêntrica na criança surda e organizou outros seis livros. Publicou vários artigos, sendo três em inglês. Tem 15 capítulos em livros com temas na área de Educação Especial/Inclusiva e surdez, 3 artigos publicados no exterior e 18 em publicações nacionais em temas como educação inclusiva, surdez, educação especial e linguagem. É parecerista ad-hoc de várias publicações nacionais e uma internacional.

Ana Iveniki, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ

É PhD em Educação pela University of Glasgow. Tem Mestrado em Educação pelo Departamento de Educação da PUC-Rio e Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Atualmente é Professora Associada do Departamento de Fundamentos de Educação/Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Possui inúmeras publicações em periódicos nacionais e internacionais bem como livros publicados/organizados, e vários trabalhos em anais de eventos. Tem sido Palestrante/Conferencista convidada em diversas instituições. Desenvolve pesquisas em Multiculturalismo e Formação de Professores, tendo especial interesse nas áreas de Educação Comparada, Avaliação da Aprendizagem e Avaliação Institucional. Foi agraciada com o prêmio CORA CORALINA, pela Associação Nacional de Pós- Graduação e Pesquisa em Educação/ ANPEd e a Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão/SECADI, conferido na 36a. Reunião Anual da ANPEd /2013, Goiania, pela contribuição à Educação com Inclusão Social.