Re-Examining Exit Exams: New Findings from the Education Longitudinal Study of 2002

Main Article Content

Abstract

Using the nationally representative, cohort-based data of the Education Longitudinal Study of 2002 (ELS:02), this study employs multiple regression to examine the effects of exit exams on student achievement and school completion. This study finds that exit exams as a whole do not have substantial effects on student achievement in mathematics, twelfth grade GPA, or school completion. Standards-based exams are a positive predictor of dropping out of school but lose their predictive power once GED recipients are coded as completing school. Exit exams do not affect GED seeking and acquisition. When exit exams are disaggregated by type and students are sorted by ninth grade GPA quartiles, end-of-course exams have some negative effects on mathematics test score gains. Students in the bottom two quartiles see reduced test score gains of 28% and 29% of a grade level equivalency (GLE). These effects disappear when students in North Carolina are coded as taking a different type of exam. Standards-based exams had a small positive effect, about 37% of a GLE, on the top quartile of students. Overall, the findings showed no results for school completion and mixed results for test score gains. The article concludes that policymakers looking to boost high school achievement would be better served by working to boost student accomplishments before high school.

Downloads

Download data is not yet available.

Article Details

How to Cite
Shuster, C. (2012). Re-Examining Exit Exams: New Findings from the Education Longitudinal Study of 2002. Education Policy Analysis Archives, 20, 3. https://doi.org/10.14507/epaa.v20n3.2012
Section
Articles
Author Biography

Catherine Shuster, Utilizando dados de uma amostra nacionalmente representativa do Estudo Longitudinal da Educação de 2002 (ELS: 02), este estudo utiliza regressão múltipla para examinar os efeitos de exames de saída no desempenho dos alunos e na conclusão da escolaridade. Este estudo revela que os exames de saída como um todo não têm efeitos significativos sobre o desempenho dos alunos em matemática, na média de pontos (GPA) no ano final do Ensino Médio ou na conclusão da escolaridade. Testes baseados em padrões são um indicador positivo de abandono escolar, mas perdem o seu poder preditivo, uma vez que os alunos que são aprovados nos testes para obter os diplomas de educação GED são codificados como concluindo a escolaridade. Exames de saída não afetam a busca e aquisição de diplomas GED. Quando os exames de saída são discriminados por tipo e os alunos de nono ano são classificados por quartis do GPA, os exames têm alguns efeitos negativos sobre as melhorias nos resultados dos testes de matemática. Alunos nos dois quartis mais baixos perderam 28% e 29% das melhorias nos resultados dos testes de equivalência do nível da série (GLE). Estes efeitos desaparecem quando os estudantes da Carolina do Norte são codificados como tendo feito outro tipo de exame. Testes baseados em padrões tiveram um pequeno efeito positivo, cerca de 37% de um GLE com estudantes do quartil superior. Em geral, os resultados não mostraram resultados para conclusão da escolaridade e resultados mistos sobre melhorias nos resultados nos testes. O artigo conclui que os políticos que buscam melhorar o desempenho da escola obteria melhores resultados trabalhando para aumentar o desempenho do aluno antes de entrar no ensino médio.

Kate Shuster holds a Ph.D. in Educational Studies from Claremont Graduate University. She works as an independent evaluator of education enrichment programs.